Home > Novidades > Público Geral > Eventos > Linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin: conheça os sintomas e os tratamentos

Linfomas de Hodgkin e não-Hodgkin: conheça os sintomas e os tratamentos

15-09-2020 à 31-12-1969

O aumento progressivo de linfonodos do pescoço, axilas e virilha podem ser sintomas de câncer no sistema linfático, conhecido por linfoma, que se desenvolve através do crescimento descontrolado de células malignas. Como o sistema linfático está presente em todo o organismo, os linfomas podem surgir em qualquer parte do corpo e se espalhar para o baço, fígado e medula óssea.

O sistema linfático é formado por uma complexa rede de vasos e de linfonodos (também chamados de gânglios linfáticos) que tem como principal função a produção de células do sistema imune e a proteção do organismo contra infecções. Os linfomas podem ser divididos em dois grupos: de Hodgkin e não-Hodgkin. O primeiro tem como principal característica dissipar-se de forma ordenada por meio dos vasos linfático. Já o segundo, é subdividido em várias subcategorias e se espalha de forma não ordenada.

A hematologista do Hospital Ernesto Dornelles, Dra. Bianca Fernandes Sarturi, explica que a agressividade dos tumores, sejam de Hodgkin ou não-Hodgkin, varia conforme aspectos morfológicos, imunofenotípicos, genéticos e clínicos. “Com estas informações, escolhemos o melhor esquema terapêutico de combate ao linfoma. Geralmente é quimioterapia e/ou radioterapia, mas, em casos selecionados, é necessária a realização de transplante de medula óssea. A resposta ao tratamento e a duração desta resposta também nos dão informação acerca da expectativa de vida do paciente”.

Os linfomas são diagnosticados através de consulta médica e biópsia para distinguir o tipo de tumor. Entretanto, alguns sinais podem indicar que há alguma alteração no sistema linfático. “Na presença de febre vespertina por mais de 14 dias, emagrecimento involuntário, inapetência, cansaço, sudorese noturna e aumento progressivo de linfonodos no pescoço, axilas e/ou região da virilha, é necessário procurar atendimento médico com urgência para avaliação e diagnóstico”.  

Conforme a médica do HED, nos casos assintomáticos, a descoberta pode ser realizada num hemograma de rotina (quando há alteração na contagem dos linfócitos ou uma anemia) ou quando é detectado um aumento no baço por meio de uma ecografia abdominal de rotina. “Quadros assintomáticos estão mais relacionados a tumores de comportamento indolente, pouco agressivo”.

A maior parte dos linfomas tem causa indefinida. Alguns surgem em pacientes que possuem deficiências imunológicas causadas pela AIDS ou pelo uso de drogas imunossupressoras, outros podem ser decorrentes de infecções pelos vírus EBV,  HTLV-1 e a bactéria Helicobacter Pylori. Por esse motivo não há uma maneira exata de prevenir este tipo de câncer, mas há alguns cuidados que podem ser tomados. 

De acordo com a Dra. Bianca Fernandes Sarturi, o recomendado é utilizar equipamentos de proteção individual quando há exposição prolongada/ocupacional a produtos derivados do benzeno, como gasolina, solvente, cola de sapateiro e agrotóxicos, pois eles aumentam a chance de desenvolvimento de doenças hematológicas, como linfoma, leucemia, síndrome mielodisplásica e mieloma múltiplo.

Todos os eventos

Dados de Atendimento
Fone (51) 3217-2002
Av. Ipiranga, 1801 - Porto Alegre/RS - como chegar

Horário de Visitas
Unidade de Tratamento Intensivo - UTI: Somente um visitante por paciente internado, sem revezamento. Horário: das 10h às 10h30min (leitos pares UTI); Horário: das 16h às 16h30min (leitos ímpares UTI).

Emergência: das 11h às 11h20min.

Unidade de Internação: Somente um visitante por paciente internado, sem revezamento. Horário: das 16h às 17h.

Unidade de Cuidados Especiais - UCE: Somente um visitante por paciente internado, sem revezamento. Horário: das 9h às 9h30min.