Home > Novidades > Público Geral > Notícias > Médico Reumatologista do HED tira dúvidas sobre Osteoporose

Médico Reumatologista do HED tira dúvidas sobre Osteoporose

15-02-2016

Como qualquer outro tecido do nosso corpo, o osso é uma estrutura viva que precisa se manter saudável, e isso acontece mediante a remodelação do osso velho em osso novo. A osteoporose significa ''osso poroso'' e ocorre quando o corpo deixa de formar material ósseo novo suficiente, ou quando muito material dos ossos antigos é reabsorvido pelo corpo - em alguns casos, pode ocorrer as duas coisas. Se os ossos não estão se renovando como deveriam, ficam cada vez mais fracos e finos, sujeitos a fraturas.

Entenda como funciona a doença e como previní-la:

O que é a Osteoporose?

Osteoporose é uma doença que pode atingir todos os ossos do corpo, fazendo com que fiquem fracos e com possibilidade de quebrarem aos mínimos esforços.

Tem Cura?

A osteoporose não tem cura, mas pode ser controlada.

Quais são os sintomas?

A Osteoporose não provoca sintomas. A dor pode acontecer em consequência de fratura, que pode ocorrer espontaneamente, principalmente em coluna, quadril e punho. O osso fica tão fraco que pode haver achatamento da vértebra. Pode ocorrer encurvamento da coluna (“corcunda”) e diminuição da altura.

Por ano, quantas pessoas são detectadas com a doença no Brasil?

A prevalência da osteoporose aumenta a cada ano. Em estudos internacionais, a taxa de ocorrência da osteoporose chega a 40% em mulheres com 70 anos ou mais, no Brasil o conhecimento da epidemiologia da osteoporose e da fragilidade óssea é menor, mas estima-se que uma em cada quatro mulheres tenham osteoporose nesta faixa etária.

Como é feito o diagnóstico?

O exame mais adequado para o diagnóstico da Osteoporose é a densitometria óssea, que permite avaliar o estágio da doença e serve como método de acompanhamento do tratamento. É um exame indolor que mede a massa óssea na coluna e no fêmur. O valor < -2,5 DP no seu exame de densitometria faz o diagnóstico de Osteoporose. Se você tiver tido uma fratura por qualquer queda, também pode ter o diagnóstico de Osteoporose.

Qual o período de incubação da doença?

Até os 35 anos, construímos nosso esqueleto. Dos 35 aos 45 anos, a relação entre as células formadoras e as que reabsorvem o tecido ósseo fica equilibrada. Depois dos 45 anos, as células que destroem o osso ficam mais ativas do que as que o recompõem e começamos a perder parte de nosso esqueleto. Por isso precisamos fazer uma poupança de osso. Quanto menos cálcio ingerido até os 35 anos, maior a chance de desenvolver osteoporose no futuro.

Como prevenir a doença?

A prevenção engloba uma série de medidas:

- Exercícios suaves: desde caminhadas até a realização de um programa de exercícios estabelecido pelo médico ou pelo fisioterapeuta.
Ex: alongamento, exercícios para melhorar o equilíbrio e para fortalecimento dos músculos.
- Nutrição adequada: dieta rica em cálcio. Ex: leite e derivados.
- Parar de fumar
- Evitar excesso de álcool

Como funciona o tratamento?

Hoje em dia houve grande avanço nos tipos de medicamentos para tratar osteoporose. Dentre os eles podemos citar os Bisfosfonatos (Alendronato, Risedronato, Ibandronato, ácido Zoledrônico), Ranelato de Estrôncio, Raloxifeno,  Calcitonina, Teriparatida (PTH 1-34) e denosumabe. Estes medicamentos podem ser administrados por via oral, subcutânea ou intravenosa. Sempre deve haver suplementação com cálcio e Vitamina D.

Quais são os riscos da Osteoporose? 

A osteoporose aumenta o risco de fraturas e com isso inclusive diminuir a sobrevida das pacientes. As fraturas mais importantes ocorrem no colo do fêmur – osso longo localizado na coxa – e nas vértebras da coluna vertebral. Nas vértebras, os ossos não se rompem de vez. Ocorrem pequenas fraturas que somadas podem provocar o esmagamento das vértebras atingidas com consequente redução da altura da pessoa. 

Quais os fatores de risco?

Há um conjunto de fatores que influenciam e favorecem o desenvolvimento da Osteoporose. Dentre os principais podemos citar:

1. Menopausa
2. Envelhecimento
3. Hereditariedade
4. Dieta pobre em cálcio
5. Excesso de fumo e álcool
6. Imobilização prolongada
7. Medicamentos (corticoide, por exemplo)

Dr. Claiton Brenol, Reumatologista
CRM 17609

Todas as notícias

Dados de Atendimento
Fone (51) 3217-2002
Av. Ipiranga, 1801 - Porto Alegre/RS - como chegar

Horário de Visitas
Unidade de Tratamento Intensivo - UTI: das 10h às 10h30min; das 16h às 17h; das 20h30min às 21h


Emergência: das 11h às 11h20min; das 15h30min às 15h50min; e das 21h às 21h20min

Internação: das 8h às 21h

Unidade de Cuidados Especiais - UCE: das 9h às 9h30min; das 15h às 15h30min; das 20h às 20h30min