Home > Novidades > Público Geral > Eventos > Dia Mundial do Rim

Dia Mundial do Rim

Prevenção é o melhor remédio contra doenças renais.

O Hospital Ernesto Dornelles em conjunto com a Clinefro apóiam a campanha do Dia Mundial do Rim, intitulada “1 em 10. O Rim envelhece, assim como você”, que é promovida pela Sociedade Brasileira de Nefrologia.

No dia 13 de março, o HED fará uma série de ações preventivas e gratuitas: no Ambulatório, localizado no 2º andar do hospital (Av. Ipiranga, 1801), haverá verificação de pressão arterial e orientação médica sobre as causas da doença renal, das 10h às 15h.

Já no Anfiteatro Bruno Marsiaj do Hospital, localizado no térreo, ocorrerá, das 15h30min às 16h30min, a palestra “Prevenção da Doença Renal: a importância do controle da pressão arterial” com a cardiologista Ana Lúcia Martins Costa e a nefrologista Cínthia Kruger Sobral Vieira.

As ações são gratuitas e não necessitam de inscrição prévia. Também faz parte da campanha, a iluminação diferenciada na fachada da instituição, que ocorrerá em três dias consecutivos, de 12 a 14 de março, chamando a atenção da população para os cuidados com os rins.

 

A Dra. Cínthia Kruger Sobral Vieira é Presidente Regional da Sociedade Brasileira de Nefrologia, Presidente Sociedade Gaúcha de Nefrologia, diretora da Clinefro e médica nefrologista do Hospital Ernesto Dornelles.

 

Campanha: “1 em 10. O Rim envelhece, assim como você.”

O Dia Mundial do Rim é celebrado na 2º quinta-feira de março, em cerca de 150 países, que juntos, produzem um alerta sobre os cuidados e medidas preventivas para as doenças renais. As ações são centralizadas nas associações: No mundo através da Sociedade Internacional de Nefrologia (ISN, International Society of Nephrology), da Fundação Internacional Kidney Failure (IFKF, International Foundation Kidney Failure), de suas regionais e de colaboradores de cada país.

 

No Brasil, a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) e a Sociedade Gaúcha de Nefrologia (SGN) têm participado desde 2009 desta campanha, e o Hospital Ernesto Dornelles tem sido colaborador. A ação visa mostrar a importância dos rins para uma boa saúde e também para reduzir o impacto e a frequência da doença renal. Os principais grupos de risco para as Insuficiências Renais Crônicas (IRCs), são os diabéticos e hipertensos.

 

Principais doenças renais

Diabete Mélito

O que é?

Diabete mélito é uma patologia muito frequente no mundo todo que quando mais cedo diagnosticada melhor, para iniciarem logo as medidas de controle do diabetes e possíveis alterações vasculares.

Após 5-10 anos de diabetes mélito poderão ocorrer alterações assintomáticas de função renal.

É importante um controle bem adequado das glicemias e a avaliação da função renal de todo diabético.

 

Hipertensão Arterial Sistêmica

O que é?

HAS é uma das causas mais frequentes de insuficiência renal crônica que leva à diálise. O tratamento é fundamental para evitar a progressão da doença renal. O hipertenso deve atentar que a mudança de hábito é fundamental como: diminuição do sal, tratamento medicamentoso, exercícios e diminuição de peso.

 

Diálise e Hemodiálise

O que é?

Quando o rim não funciona adequadamente, começa acumular detritos no sangue, no caso creatinina e uréia, que são tóxicos aos pacientes. Esses acúmulos reduzem a capacidade de funcionamento, e quando fica menor que 10%, o paciente deve buscar algum método de substituição da função renal. As técnicas usadas para o tratamento da Insuficiência Renal Crônica são: A hemodiálise que é a filtração do sangue; a diálise peritoneal é a filtração pelo abdômen; e em casos mais avançados o transplante de rim. Os sintomas mais frequentes são: o cansaço, a fraqueza, a anemia, a alteração de cálcio e fósforo. O procedimento de hemodiálise é feito três vezes por semana em aplicações de quatro horas cada e não é dolorido. De acordo com dados da Sociedade Gaúcha de Nefrologia, cerca de 5 mil pacientes fazem diálise do Rio Grande do Sul.

 

Cálculo Renal

O que é e como prevenir?

São formações de cristais nos rins que podem causar crise de dor. De acordo com a Nefrologista Dra. Cínthia Vieira Kruger, o importante para quem já sabe que tem o cálculo é passar a ter hábitos saudáveis como beber muito líquido, de preferência água, e não exagerar no sal. Segundo a médica, toda campanha de prevenção da doença renal orienta que se beba 8 copos de água por dia, sendo que as substâncias como café, chás, cervejas e refrigerantes derivados de cola não substituem a água. Para quem não possui cálculo deve seguir a orientação de beber também os 8 copos. Bebidas como suco de laranja, limão, acerola, que são ricas em citrato, ajudam a prevenir os cálculos. Não esqueça: após a pedra ter sido eliminada, poderá surgir outra pedra no futuro, então procure um nefrologista para uma avaliação da situação. Bom senso é importante: muita água, pouco sal, pouca carne vermelha, comer frutas e fazer exercícios, aconselha a Dra. Cínthia.

Todos os eventos


Dados de Atendimento
Fone (51) 3217-2002
Av. Ipiranga, 1801 - Porto Alegre/RS - como chegar

Horário de Visitas

Emergência:
11:00 às 11:20 (leitos pares)
15:30 às 15:50 (leitos impares)

UCE:
09:30 as 10:00 (leitos pares)
16:00 às 16:30 (leitos impares)

UTI:
10:00 às 10:30 (Leitos pares)
16:00 às 16:30 (leitos impares)